sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Deus é Amor...


Deus é Amor...
Não há assertiva mais chocante, revolucionária e libertadora nas Escrituras Sagrada do que aquela que encontramos na primeira carta do Apóstolo João no cap. 4 e vers. 8, onde está escrito que Deus é Amor.
Eu sempre ouço pregadores negarem isso quando dizem aos berros: “Deus é Amor, mas é justiça!” O que eles querem dizer com isso? Acredito que eles morrem de medo dessa afirmação, posto que Deus é Bom e não nos retribui conforme merecemos, pois sua graça que é favor imerecido é derramada poderosa e abundantemente em nossas vidas.
Com isso quem afirma que “Deus é Amor, mas é justiça” quer dizer que Deus castiga o pecador, negando com isso a misericórdia de Deus e mais, eles não sabem o que significa a assertiva do Apóstolo João. Haja vista que o Amor jamais fará concessões para qualquer tipo de injustiça. E tudo que fazemos terá suas consequências.
Só podemos entender que Deus é Amor através da primeira carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios no cap. 13. Primeiramente, Paulo diz que Deus é quem enche a nossa vida e as nossas ações de significado, depois ele descreve o que é o Amor, esta descrição é uma descrição de quem é Deus.
E Deus é: Paciente, é Bondoso, Deus não se Alegra com a Injustiça, mas se Alegra com a Verdade. Tudo Sofre, tudo Crê, tudo Espera, tudo Suporta.
O que dizer depois dessa descrição paulina sobre Deus? Um Deus paciente com a humanidade pecadora; um Deus que sofre por causa de nossas iniquidades; mas crê e espera que nos arrependamos de nossos pecados; pois Deus é Bom.
Deus é Amor e, o amor não compactua com a injustiça e nem com a mentira. Mas se alegra com a justiça e com a Verdade. Um amor que falsifica a realidade e distorce os fatos, não veem de Deus e nem é Deus.
Pense nisso: Deus é Amor e quem ama conforme o Evangelho é de Deus!
Eu fico por aqui e por aí, mas sempre no Caminho,
Jonas Lima da Silva,
18 de setembro de 2011, Santana, AP
Postar um comentário