segunda-feira, 4 de junho de 2012

Minha opinião sobre o GJC



Minha opinião sobre o GJC

A atual gestão da União de Mocidade da Assembleia de Deus de Santana – AP (UMADSAN) criou no ano de 2011 o Grupo Jovem de Comunhão (GJC), com o objetivo de fortalecer a unidade dos grupos de jovens, incentivar e efetivar o discipulado, evangelizar, entre outras coisas. Uns comparam essa metodologia de trabalhar com grupos pequenos com Visão Celular, e outros, com os ditos Grupos familiares.

Particularmente eu compreendo que seja boa ideia trabalhar em grupos pequenos (células), e ao mesmo tempo, vejo essa ideia muito porosa. Outra coisa, o GJC é um método, e tudo que é metódico começa bem e depois vira uma desgraça, fica maçante, mecânico, sem alma, sem espontaneidade.

Acredito que o GJC é evanescente; no começo vai ser uma explosão! Muitas pessoas serão ajudadas, muitas pessoas terão contato com o Evangelho, e é por isso que sou a favor do GJC. Contudo, tenho que ser honesto; o GJC terá seu fim em si mesmo. Digo isso porque a história está aí para provar, durante esses dois milênios de Cristianismo o que não faltou foram métodos, e todos sucumbiram.

O que me deixa preocupado é que os movimentos que surgiram baseados em métodos foram danosos ao Evangelho, posto que cresceu significativamente o número de heresias no  bojo do Cristianismo.

Diante disso, eu confessor que não tenho nenhuma empolgação com o GJC concernente ao futuro. Sou favorável e acredito que os idealizadores do GJC criaram-no com a mais pura intenção, porém estou consciente que logo acabará e deixará saudades da sua gênese.

O que eu disse está dito! E Lembre-se é apenas uma opinião; caro leitor, seja do Evangelho e me ame, ou, seja diabo e me odeie.
Eu fico por aqui e por aí, mas sempre no Caminho,
Jonas Lima da Silva
Santana-AP, 10 de Maio de 2012
Postar um comentário