quarta-feira, 13 de março de 2013

No que estamos nos tornando?




Hoje expulsamos os doentes.
Ridicularizamos os depressivos.
Abandonamos as viúvas, os órfãos, os desafortunados [...].
Tentamos impor a verdade. Enquanto que ela, apenas, deve ser exposta e vivida a partir de nós.
Fazemos tanta questão de afirmar sobre o que somos contra que esquecemos de que somos a favor.
Nossas bandeiras de luta estão equivocadas!
Acolhemos os ricos com alegria, os poderosos, os governantes que oprimem o povo.
Superestimamos as riquezas materiais que nos esquecemos de acumular tesouros no céu.
Defendemos a liberdade de expressão, mas não sabemos ouvir uma palavra crítica.
Aliás, não sabemos o significado do vocábulo “crítica”.
Estamos tão divididos, porém, insistimos em fala em grandes eventos o quanto somos unidos. Hipocrisia pura!
Nossa visão de coletividade é tão mirrada que buscamos eleger vereadores, prefeitos, deputados, senadores, governadores e até presidente com objetivo de defender os interesses de um segmento. Os outros que elejam seus representantes (ou que se danem).
Quando não agimos com misericórdia, com compaixão e com justiça negamos  quem somos.
Voltemos ao primeiro amor!!!

Jonas Lima da Silva
Santana-AP, 06 de março de 2013
Postar um comentário