terça-feira, 15 de setembro de 2009

Mais uma versão do Amor

Por que gostamos de algumas pessoas de maneira diferente das outras? Ou melhor, por que gostamos de uma pessoa como se a nossa vida dependesse do que sentimos por ela?
Não compreendo este sentimento que nos deixa ansioso em ver a pessoa a que se quer bem, a pessoa a quem chamamos de meu bem. Parece loucura, mais até o nosso humor é regulado conforme o nosso relacionamento com a pessoa amada. Incrível é o poder que esta pessoa possui sobre nossos pensamentos, ela entra sem bater na porta, entra e parece que não quer mais sair e, o que mais queremos é que ela jamais saia.
Fomos criados por amor, por isso nos apaixonamos. Espera aí, amor e paixão não são sentimentos distintos? Sim, eles são. E qual a diferença entre eles? Primeiramente, o amor é eterno, a paixão não. Todavia, a paixão é quem nos leva ao amor.
Paixão sem amor é obsessão doentia que aprisiona a alma de quem acha que está amando e mais, tenta de todas as maneiras escravizar seu objeto de desejo. O amor não aprisiona ninguém, ele liberta. O amor nos desperta sonhos, nos fortalece.
A vida só é possível por causa do amor, porque o contrário disso é o ódio que, gera guerras, destruição e diversas mazelas sociais e psicológicas. Portanto, devemos amar verdadeiramente, mesmo que seja dolorido. Pois um dia colheremos os doces frutos do amor.
Quando conseguimos amar alguém, conseguimos sonhar com um mundo melhor. O amor é assim, solidário, desprovido de interesses mesquinhos, o amor nos humaniza. Passamos a sentir a dor dos outros como se fosse a nossa dor. O mundo precisa aprender amar para depois ir às ruas pedir paz e direitos iguais para todos.

“Não importa quem amamos nessa vida, o importante é amar”.
Amor, Fé e Esperança Trazem LIBERDADE!

Jonas Lima da Silva
FNR produções®2009
Postar um comentário