segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Ele me habita


Ele me habita

Contemplar o céu desfaz minha arrogância,
Faz-me cair de joelhos; não perante aos astros celestes, não, não a eles...
Eu me prostro ante Aquele que sabe o nome de todas as Estrelas,
Eu aqui sou apenas poeira. Toda via Ele resolveu habitar em mim!
Ele tem o Cosmo e seus Multiversos e decidiu por mim!?
Sou sua casa!?
“Quem sou eu Senhor?”
Eu sou apenas poeira dispersa na imensidão do Universo,
Mas Ele resolveu habitar em mim!!!
Isso significar que não sou a causa e nem consequência,
Sou apenas alvo de tão grande amor que não cabe no Universo...
Pois só cabe dentro de mim.
Contemplar o céu desfaz minha arrogância,
Não sou a causa e nem consequência
Sou Alvo, alvo de um tão grande amor que não cabe no Universo...
Pois só cabe dentro de mim.

Jonas Lima da Silva,

Santana – AP, 30 de dezembro de 2013
Postar um comentário