quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Conhecendo o Reino de Deus


 

Hodiernamente as pregações do Evangelho se distanciaram muito daquela pregada por Jesus Cristo. Mas sobre o que Jesus pregava? Segundo os Evangelhos, Jesus pregava e ensinava o evangelho do Reino de Deus.
A mensagem a ser pregada à Humanidade é o Evangelho do Reino, pois o Mestre profeticamente proferiu estas palavras: “... e este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim”. (Mt. 24.14). Então podemos compreender que a vinda de Jesus está umbilicalmente ligada à pregação do evangelho do Reino de Deus.
Mas, o que é o Reino de Deus?
Primeiramente o Reino de Deus possui duas características importantes. Uma está ligada ao tempo e a outra a sua aparência. Em relação ao tempo o Reino de Deus é presente, já sua aparência é invisível. O Reino de Deus também é futuro, e sua aparência é visível. Isto é, antes e depois do arrebatamento; antes invisível, depois visível.
Jesus prega o Evangelho do Reino de Deus e, quem ouvia suas palavras e cria nele tinha sua vida completamente mudada para melhor, posto que a mensagem do Reino de Deus subverte a lógica do sistema que governa este mundo. No Reino de Deus não há lugar para preconceitos, discriminações, estratificações e nem status sociais; Jesus nos ensina com a parábola do grão de mostarda que Reino de Deus aos olhos dos homens é insignificante, mas quando cresce serve de abrigo para os viajantes,  serve de alimento para os famintos e acolhe os desabrigados.
O Apóstolo Paulo nos apresenta o Reino de Deus em três dimensões:  Justiça, Paz e Alegria no Espírito Santo (Rm 14.17). A Justiça do Reino se manifestou a nós através de Jesus quando ele morreu na Cruz e mais quando Ele ressuscitou e o véu que nos separava de Deus foi rasgado e, hoje temos livre acesso ao Trono de Deus; algumas pessoas confundem a Justiça de Deus com o Juízo de Deus, o que comprova esta assertiva é a famosa frase: “Deus é amor, mas é Justiça!”. Muitos não conseguem aceitar o fato de que Deus é Amor e não leva em conta o nosso passado pecaminoso, e sua justiça não se manifesta em castigo, pelo contrário Deus quer que todos sejam perdoados. O que há são as consequências de nossas ações pecaminosas, e nem sempre o “castigo-juízo de Deus” é visível; o Juiz é Deus, somente Ele é quem pode julgar e fim de papo.
A Paz do Reino de Deus não é ausência de guerras, de conflitos, de lutas ou de Provações. A Paz que vem de Deus vai além do entendimento, visto que “se você fizer do Altíssimo o seu abrigo, do Senhor o seu refúgio, nenhum mal o atingirá, desgraça alguma chegará à sua tenda” (Sl. 91. 9-10); você consegue entender a paz do Reino de Deus? Não! Então pare de tentar entender, busque experimentá-la.
– Como faço isso?
Jesus disse: “deixou-vos a Paz, a minha Paz Vos dou”. Sendo assim peça Jesus e Ele terá o prazer de pacificar a sua Vida!
A alegria do Reino de Deus é no Espírito Santo, ou seja, é a alegria daquela que experimentou o novo nascimento e possui o prazer de ter o doce e poderoso Espírito Santo habitando em sua vida.
Hoje temos uma geração colorida demais nas Igrejas, eles pulam e dançam demais, e acham que isso é a verdadeira alegria, pelo simples fato de se divertirem nos picadeiros eclesiásticos sem usarem drogas, álcool... Mas e daí? Será que eles teriam a mesma motivação para louvar a Deus em uma Prisão? Certamente não! Acredito que eles chorariam amargamente, amaldiçoariam a Deus e endossariam o corro daqueles que dizem: “eu não quero mais nem saber de Deus, pois a Igreja que eu frequentava me enganou [esses são os decepcionados com Deus]”. [se esse for o seu caso leia exaustivamente o Salmo 42 até entendê-lo]
Certa vez Jesus recebeu a visita de um homem muito importante em Israel, seu nome é Nicodemos, fariseu membro do Sinédrio e homem de conduta reta e piedosa. Ele veio a Jesus, à noite, e disse: “Mestre, sabemos que ensinas da parte de Deus, pois ninguém pode realizar os sinais miraculosos que estás fazendo, se Deus não estiver com ele”. Em resposta, Jesus declarou: “Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo ”. Perguntou Nicodemos: “Como alguém pode nascer, sendo velho? É claro que não pode entrar pela segunda vez no ventre de sua mãe e renascer!” Respondeu Jesus: “Digo-lhe a verdade: Ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito. O que nasce da carne é carne, mas o que nasce do Espírito é espírito. Não se surpreenda pelo fato de eu ter dito: É necessário que vocês nasçam de novo” (Jo 3.1-7).
Esse fato mostra que podemos ver e entrar no Reino de Deus, ver e entrar não é a mesma coisa, a pessoa pode confessa que acredita em Jesus, mas ela apenas consegue ver a forma do Reino de Deus, apesar disso não consegue entrar e experimentar o conteúdo do Reino. Pois precisa nascer da água, ou seja, precisa de um genuíno arrependimento. O arrependimento é mudança de mentalidade; é recuar de um compromisso firmado [com o pecado], essa é a condição primal para nascer do Espírito. E a partir dessa experiência viver em novidade de Vida mediante a fé em Jesus.
Diante disso, fica a pergunta: Você quer entrar no Reino de Deus? Se você quiser é muito simples, basta se arrepender de seus pecados e confessar a Jesus como seu salvador. E deixe o Espírito Santo te guiar pelas veredas da Justiça. E se tiver que passar pelo vale da sombra e da morte, não negue sua fé. [pois estou bem certo que nada e nem ninguém poderá nos separar do Amor de Deus].
Eu fico por aqui e por aí, mas sempre No Caminho,
Justiça, Paz e Alegria no Espírito Santo para TOD@S!
Jonas Lima da Silva às 00h: 46min, 06-07-2011
Postar um comentário